Afinal, o que é o #342 artes divulgado nas redes sociais?

De acordo com informações de alguns veículos de mídia e das redes sociais da campanha de artistas 342 artes, publicamos um resumo do que se sabe até o momento.

O 342 Artes surgiu a partir da reunião de cerca de 100 artistas na casa da produtora Paula Lavigne. Inicialmente, o objetivo do grupo seria processar políticos e autores de difamação na Internet. Em paralelo, foi iniciada a campanha 342 artes de repercussão em sites e redes sociais.

Alguns veículos de mídia publicaram informações sobre a campanha.

De O Globo:

Como parte da campanha 342 Artes, artistas brasileiros se uniram para gravar vídeos contra o cancelamento da exposição “Queermuseu” pelo Santander Culural, em Porto Alegre, e a polêmica envolvendo a performance “La bête”, no MAM de São Paulo.

Fonte: https://oglobo.globo.com/cultura/artistas-como-fernanda-montenegro-marisa-monte-caetano-veloso-gravam-videos-contra-censura-21923336

De Correio 24 horas:

A campanha é uma resposta à suspensão e perseguição de grupos a exposições como o “Queermuseu”, em Porto Alegre, e aos protestos contra a performance “La Bête”, que aconteceu no Museu de Arte Moderna de São Paulo. Fernanda começa o vídeo dizendo que “tudo é cultura, inclusive a cultura de repressão”. “Mas só há realmente um tipo de cultura que constrói um país, é a cultura da liberdade”, continua. “A cultura liberta cria a alma de uma nação”, explica a atriz. Ela avisa que “nem a pele dos políticos vai se salvar” caso o país mergulhe em uma onda conservadora.

Fonte: http://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/fernanda-montenegro-faz-apelo-contra-censura-as-artes-em-video/

Em uma página do Facebook, representantes da campanha postaram um vídeo sobre as motivações do grupo:

Logo do #342artes
Logo do #342 artes divulgados nas redes sociais

Críticas ao 342 artes

Logo após a divulgação da campanha, as primeiras informações contrárias ao movimento e seus organizadores surgiram:

Coordenadora de movimento contra “censura” nas artes tentou censurar biografias na justiça

Página da campanha 342 artes é retirada do Facebook após avaliações negativas (a página já foi restabelecida)

Página da campanha 342 Artes recebe chuva de avaliações negativas e é retirada do ar

Artigo de Ana Paula Henkel no Estadão faz um artigo onde critica a campanha e afirma:

A frouxidão moral de alguns artistas e intelectuais não serve de parâmetro para uma sociedade que respeita o bom senso, a razão e a sabedoria acumulada por gerações e gerações que entenderam os males causados pela erotização da infância. O ponto central da pornomilitância é tirar o foco do que fez a sociedade reagir: as crianças. E nada mais. Quem eles pensam que enganam mudando de assunto e falando em nudez?

Fonte: http://politica.estadao.com.br/blogs/ana-paula-henkel/131-2/ 

 

Este é um site de informação sobre a campanha independente, sem vínculo com pessoas e veículos supracitados.